26 agosto, 2014

TVs por assinatura passam a transmitir programas com audiodescrição

Uma demanda da comunidade cega e das pessoas com deficiência visual consumidoras de televisão por assinatura começa a ser atendida pelas empresas operadoras do setor. Vários programas que já eram transmitidos com audiodescrição (AD) pelo sinal aberto também o estão sendo transmitidos pelas prestadoras de Serviço de Acesso Condicionado (SeAC), como são chamadas tecnicamente as TVs pagas (a cabo ou via satélite).
A audiodescrição é um recurso de acessibilidade que consiste em narrar uma informação visual, como as contidas em filmes, novelas, séries, comerciais e outros.
As televisões por assinatura são obrigadas por lei a transmitir integralmente os canais da TV Aberta local incluído o áudio da audiodescrição. Mas era até o início do ano incomum encontrar o recurso – assim como o de legenda oculta – em canais por assinatura. A constatação levou a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) e o Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade) a solicitarem auxílio na disseminação da audiodescrição ao Ministério das Comunicações (MiniCom), à Agência Nacional do Cinema (Ancine) e à Agência Nacional de telecomunicações (Anatel).
“Desde 2011, a audiodescrição é uma realidade na televisão aberta”, avalia o secretário nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência da SDH/PR, Antonio José Ferreira. “Precisávamos agora conquistar esse espaço nas por assinatura e, graças à articulação com a Ancine e a Anatel, constatamos o aumento dos programas com este recurso e a adequação à quantidade de horas semanais que a lei determina”.
A inserção da audiodescrição na televisão aberta é definida a partir do cronograma previsto pela portaria nº 188/2010 do Ministério das Comunicações. Em 2014, as emissoras devem veicular quatro horas por semana de programação audiodescrita. A partir de julho de 2015, deverão veicular mais duas horas por semana, num cronograma crescente que chegará a vinte horas por semana em 2020, conforme escala abaixo:
  • Até julho 2011 – 2h/semana (das 6h às 2h)
  • Até julho 2013 – 4h/semana (das 6h às 2h)
  • Até julho 2015 – 6h/semana (das 6h às 2h)
  • Até julho 2017 – 8h/semana (das 6h às 2h)
  • Até julho 2018 – 12h/semana (das 6h às 2h)
  • Até julho 2019 – 16h/semana (das 6h às 2h)
  • Até julho 2020 – 20h/semana (das 6h às 2h)
Caso o telespectador verifique que sua operadora de televisão por assinatura não transmite a audiodescrição em programas que têm o recurso na televisão aberta local, a denúncia pode ser feita pelo telefone ligando para 1331, da Anatel.


Fonte: Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência

London Grammar - além de uma cadeira de rodas



Lá está ela, inocente e frágil, em seu pequeno vestido azul - quase tão azul como a borboleta que mantém seu coração saudoso. A animação bonita que toca cada canto da alma e mostra que imaginação traz sonhos para a vida.

06 agosto, 2014

Oficina de Surdez e Acessibilidade

Destinada a profissionais de RH, gestores e profissionais ouvintes, envolvidos e/ou interessados em conhecer a cultura surda e a Língua Brasileira de Sinais (Libras), a 10ª Oficina de Surdez e Acessibilidade está com as inscrições abertas!

Não perca!
A oficina acontecerá a partir do dia 1° de setembro de 2014, nas Faculdades Integradas Rio Branco.

Maiores informações: 
http://www.cepro.org.br/site/Interna/Oficina_Surdez.aspx



05 agosto, 2014

Plano São Paulo Mais Inclusiva


Você conhece o #SãoPauloMaisInclusivaParticipe da Minuta Participativa até dia 31 de agosto!


Plano São Paulo Mais Inclusiva
É uma ferramenta que integra as políticas públicas para as pessoas com deficiência a partir de ações organizadas em cinco eixos – Acessibilidade; Atenção à Saúde;  Acesso à Educação, Cultura e Esporte; Trabalho; Inclusão Social e Cidadania.


http://saopaulomaisinclusiva.prefeitura.sp.gov.br/

30 julho, 2014

Estudos sobre a Deficiência: Mesas Redondas - de 13 a 15 de Agosto.

PROGRAMAÇÃO

Capitalismo, Sustentabilidade & Deficiência - Dia 13, das 14h às 16h
Wederson Rufino dos Santos (Anis / INSS)
Assistente Social graduado pela Universidade de Brasília (UnB) em 2007. Mestre em Política Social e doutorando em Sociologia também pela UnB. Finalista do Prêmio Destaque do Ano de Iniciação Científica de 2007, prêmio organizado pelo CNPq. Chefe da Divisão do Serviço Social do INSS. Pesquisador da Anis: Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero. Membro do Grupo de Pesquisas Feminismo, Direitos e Políticas, do Departamento de Serviço Social da UnB. Professor do curso de Serviço Social da Faculdade de Ciências da Saúde (FACISA) de Unaí-MG desde agosto de 2011.

Cláudia Werneck (Escola de Gente)
Idealizadora da Escola de Gente - Comunicação em Inclusão. Em nome desta ONG recebeu, em 2011, a mais alta condecoração oferecida pelo Estado brasileiro: “Prêmio Direitos Humanos” da Presidência da República. Escritora, pesquisadora, articulista, consultora, ativista e palestrante internacional. Tornou-se, no ano de 2000, a primeira escritora no Brasil a ter sua obra recomendada simultaneamente por UNESCO e UNICEF. Em 2014 a Fundação Essel reconheceu que a Escola de Gente é um dos “40 projetos mais inovadores do mundo” na área de inclusão. Claudia Werneck é formada pela UFRJ com especialização em Comunicação e Saúde pela FIOCRUZ. Publicou 14 livros sobre direitos humanos, diversidade e inclusão para crianças e adultos/as (WVA) em português, espanhol e inglês, com mais de 300 mil exemplares vendidos.
Educação & Deficiência - Dia 14, das 14h às 16h

Maria Teresa Mantoan (Unicamp)
Pedagoga mestre e doutora em Educação pela Faculdade de Educação da UNICAMP. Professora dos cursos de pós-graduação da Faculdade de Educação da UNICAMP. Coordenadora do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Ensino e Diferença - LEPED/ UNICAMP. Cavaleira da Ordem Nacional do Mérito Educacional pelos relevantes serviços prestados à educação brasileira.
Adriano Nuemberg (UFSC)
Professor do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFSC. Psicólogo, Mestre em Psicologia e Doutor em Ciências Humanas. Coordena o Núcleo de Estudos sobre Deficiência da UFSC e tem publicado artigos e capítulos sobre essa temática.

Maria Cristina da Cunha Pereira (Derdic / PUC-SP)
É graduada em Letras (Português-Inglês) pela Universidade Mackenzie, tem mestrado em Linguística Aplicada ao Ensino de Línguas pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e doutorado em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. É professora titular da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e linguista da Divisão de Educação e Reabilitação dos Distúrbios da Comunicação, da PUCSP. É professora da parte teórica da disciplina de LIBRAS, da PUCSP, pesquisadora na área da surdez e tem publicações na área de aquisição da Libras e da Língua Portuguesa por crianças surdas.
Fábio Adiron (ESPM)
Pai de duas crianças (uma com Síndrome de Down), é consultor e professor de marketing. É membro da Comissão Executiva do Fórum Permanente de Educação Inclusiva. Moderador do grupos Síndrome de Down e colaborador de publicações ligadas à educação e inclusão (Rede Saci, Planeta Educação, Tópicos em Autismo e Inclusão).
Maturidade & Deficiência - Dia 14, das 16h:30 às 18h:30

Lia Crespo (Memorial da Inclusão / SEDPcD)
Graduação e mestrado em Jornalismo e doutorado em História Social, pela Universidade de São Paulo. Militante do movimento social das pessoas com deficiência desde 1980, cofundadora do Núcleo de Integração de Deficientes (NID) e do Centro de Vida Independente Araci Nallin. Autora do livro infantil Júlia e seus amigos (Nova Alexandria, 2005), que trata de deficiência, preconceito, educação inclusiva e a importância da amizade para a construção de uma sociedade para todos.
Izabel Maria Loureiro Maior (UFRJ)
Mestre em Fisiatria e docente da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Participou da criação e foi titular da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, de 2002 a 2010. Atuou diretamente da elaboração da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência na ONU e liderou o processo de sua ratificação. Coordenou a elaboração dos decretos da acessibilidade e do cão-guia entre outros. Está no movimento de luta desde 1977 e idealizou o projeto da História do Movimento Político das Pessoas com Deficiência no Brasil, lançado em 2010. Recebeu prêmio da Organização dos Estados Americanos – OEA, em “Reconhecimento por seu trabalho para um Continente Inclusivo”. Autora, conferencista, consultora e fonte de referência nos temas: pessoas com deficiência, políticas públicas, direitos humanos, acessibilidade e inclusão social.

Marta Fuentes Rojas (Unicamp)
Psicóloga, mestre em educação e doutora em Saúde Coletiva. Docente e pesquisadora da Faculdade de Ciências Aplicadas da Universidade Estadual de Campinas. Discute a questão do adulto na pessoa com deficiência intelectual. Trabalha com grupos em situação de risco e vulnerabilidade (adolescentes, pessoas com deficiência, comunidades). Educação em saúde. Coordenadora do Laboratório de Psicologia, Saúde e Comunidade. Ministra as disciplinas de Psicologia e Saúde coletiva nos cursos de Ciências do esporte e no curso de Nutrição.
Comunicação & Deficiência - Dia 15, das 14h às 16h

Jairo Marques (Folha de São Paulo)
Atuou como repórter da Agência Folha durante sete anos participando das mais diversas coberturas pelo país. Ingressou no jornal Folha de S.Paulo por meio do programa de treinamento da 27ª turma, em 1999, meses após se formar em jornalismo pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). Tem pós-graduação em Jornalismo Social pela PUC-SP. Foi chefe de reportagem, coordenando a produção da equipe de correspondentes nacionais do jornal e mais um grupo de repórteres na sede, em São Paulo. Atualmente, é colunista do caderno “Cotidiano”, da Folha de SP. Escreve sobre cidadania, direitos humanos e aspectos da vida da pessoa com deficiência. Também mantém o blog "Assim como Você", na plataforma online do jornal, onde se dedica a debates sobre acessibilidade, inclusão e demais assuntos relacionados à deficiência física, sensorial e intelectual. É cadeirante desde a infância.

Lúcio Carvalho (Inclusive)
Coordenador-Geral da Inclusive - Inclusão e Cidadania: agência para promoção da inclusão (www.inclusive.org.br) e autor de Morphopolis (www.morphopolis.wordpress.com).

Lara Pozzobom (Lavoro Produções)
É diretora e curadora do Festival Assim Vivemos, Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência, que está em sua sexta edição e foi o responsável pela introdução da Audiodescrição em eventos culturais no Brasil. Produziu quatro premiados curtas-metragens de ficção e os longas-metragens Incuráveis, (2005) e Saias (2014), além de diversas mostras de cinema. Produziu também peças de teatro, entre elas o infantil Leonel Pé de Vento, com acessibilidade. Concebeu o Portal Acessível Blind Tube. Fez a curadoria e a produção executiva do Programa Assim Vivemos, da TV Brasil. Atualmente, dirige os projetos de Acessibilidade no Teatro no Oi Futuro e no Teatro Carlos Gomes. É mestre em Literatura Brasileira e doutora em Literatura Comparada (UERJ).

 LOCAL: CENTRO DE CONVENÇÕES ANHEMBI – SÃO PAULO/SP - DE 13 A 15 DE AGOSTO

Mais informações pelo e-mail: simpósio.deficiencia@sedpcd.sp.gov.br
Telefone: 11 5212-3764 (Márcio) 

CURSO DE FORMAÇÃO PARA CUIDADORES DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA FÍSICA E VISUAL



O curso tem o propósito de qualificar os participantes, com conhecimentos técnicos e comportamentais, para zelar pela qualidade de vida e bem-estar (saúde física, mental e social) da pessoa com deficiência. 


Público Alvo - maiores de 18 anos, com vínculo empregatício na área ou familiares ou familiares diretos de pessoas
com deficiência 


Período do curso
25/08/14 a 05/12/2014
Carga Horária
120 horas sendo 80h à distância e 40h presencial.
Modalidade
Online
Local do Curso
Escola de Educação Permanente – HCFMUSP
Rua Dr. Ovídio Pires de Campos, 471 – Cerqueira Cesar – São Paulo – SP
Número de vagas
300 vagas
Público Alvo
Pessoas acima de 18 anos
Objetivo Geral do curso
Qualificar os participantes, com conhecimentos técnicos e comportamentais, para zelar pela qualidade de vida e bem-estar (saúde física, mental e social) de pessoas com deficiência.
Período
De 30/06/2014 a 15/08/2014
Situação da Inscrição
Aberta
Documentação Necessária
Cópia do RG;
Cópia do CPF;
01 foto 3×4.
Comprovante de vínculo empregatício na área ou familiar direto de pessoa com deficiência (a não comprovação impedirá a matrícula)
Depósito
.
Processo Seletivo
Serão selecionados por ordem de inscrição
Pré-requisito: maior de 18 anos, com vínculo empregatício na área ou ser familiar direto de pessoa com deficiência.

Contato
Escola de Educação Permanente
Fone: 2661-7025
cursosmuti.eep@hc.fm.usp.br

Inscreva-sehttp://hcfmusp.org.br/portal/cursos/?aid=2&cid=100329