02 julho, 2014

Luvas inovadoras podem ensinar a ler braile em 45 minutos

O aprendizado de qualquer língua é uma tarefa complexa e com o braile não é diferente. Contudo, um experimento realizado no College of Computing, na Georgia Tech, nos EUA, promete tornar as coisas mais fáceis.
Com o auxílio da tecnologia háptica, pesquisadores afirmam ser possível aprender a escrever ou até mesmo a ler em braile em cerca de 45 minutos.
A luva criada por Thad Starner e Caitlyn Seim utiliza um pequeno motor vibrador no punho e é isso que torna o aprendizado do braile possível. Sem precisar prestar atenção de fato nas mãos, a vibração, junto a um áudio com as letras que são escritas, proporcionam um aprendizado praticamente inconsciente. Explicamos: os motores vibram em uma sequência que corresponde ao padrão de uma frase em braile e, ao mesmo tempo, o áudio informa quais são as letras dessa sequência.
Diversos experimentos com a luva foram realizados e, em todos eles, os participantes conseguiram digitar a frase sem o auxílio dos vibradores após passarem pela fase de aprendizado. O mais curioso é que, mesmo distraídos com um joguinho e sem prestar atenção nas vibrações da luva, foi possível aprender as frases e não só reproduzi-las, mas também lê-las.
 
 
 
Via PSFK

02 junho, 2014

Argentinos criam app que transforma celular em aparelho auditivo

Um grupo de estudantes de engenharia de Jujuy, extremo norte da Argentina, criou o aplicativo uSound, capaz de transformar o celular em um poderoso aparelho auditivo de baixo custo para pessoas com problemas de audição, uma opção já está disponível para usuários do sistema Android.
"Só uma em cada 40 pessoas com perda auditiva tem acesso ao equipamento médico necessário para mitigar seus problemas", disse Ezequiel Escobar, de 28 anos, um dos fundadores do uSound, o equipamento que deu origem ao aplicativo homônimo.
A invenção tomou forma junto com seus colegas da Universidade Católica de Santiago del Estero, em sua sede de San Salvador de Jujuy, 1.500 km ao norte de Buenos Aires.
Ao preço de US$ 30 por ano, Escobar e outros cinco estudantes – a maioria alunos de engenharia de sistemas e todos com idades entre 20 e 28 anos – conseguiram com o uSound "emular as funções de um aparelho auditivo que custa entre US$ 500 e US$ 2.000 com um smartphone e fones Bluetooth ou cabo", contou.
Com o uSound, os jovens participaram da competição internacional Cup da Microsoft e foram selecionados, após a inovação ter sido difundida na mídia local argentina. Atualmente, pode-se baixar o programa gratuitamente e o interessado pode conseguir uma licença sem ter que pagar nada por 30 dias para testar o serviço com todas as suas funções.
O custo do aplicativo é de US$ 2,5 mensais ou US$ 30 anuais e está disponível na Google Store.
Uma invenção para um amigo 
A inspiração para a invenção, contou Escobar, foi um colega de faculdade que acabou abandonando a carreira porque não ouvia bem, e quando não conseguia um lugar perto do professor, perdia a aula.
"Com o uSound, por exemplo, uma pessoa hipoacústica pode colocar o celular na mesa do professor e, não importa a que distância esteja, usando fones Bluetooth, pode ouvir perfeitamente", explicou o jovem empreendedor.
Escobar explicou que durante o período de testes, houve mais de 3.000 downloads de Argentina, Brasil, Espanha e Estados Unidos, entre outros países. O aplicativo também oferece a possibilidade de realizar, preventivamente, uma audiometria com o celular. Depois de realizá-la, o usuário entra no aplicativo e o programa altera automaticamente o nível de audição necessária para o usuário.
O grupo já tem escritórios em Jujuy, capital da província homônima do estado do norte da Argentina, e em Santiago do Chile. Além disso, esperam abrir no começo de 2015 outros na Espanha, aliado à Telefónica, e nos Estados Unidos (Houston ou Vale do Silício).
Especialistas da organização sem fins lucrativos MAH (Mutualidad Argentina de Hipoacúsicos) comemoraram o lançamento deste aplicativo, mas advertiram para a necessidade de que os pacientes tenham acompanhamento e controle médico e evitem a automedicação.
"Ainda não testamos o aplicativo, mas deve-se levar em conta que, segundo a legislação vigente, o uso de próteses auditivas deve ser prescrito por um otorrinolaringologista e a escolha é feita por fonoaudiólogos", disse Horacio Cristiani, diretor geral da instituição.
O especialista considerou que "é um aplicativo que pode ajudar as pessoas a aproximar os usuários da tecnologia da amplificação a um custo reduzido, sem que se sintam complexados pelo uso de uma prótese".

fonte: G1

CURSO ENSINO DA ARTE NA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA

MINISTÉRIO DA CULTURA
GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
SECRETARIA DA CULTURA
apresentam
CURSO ENSINO DA ARTE NA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA
VERSÃO ACESSÍVEL
11ª Edição - 2014
PINACOTECA DO ESTADO DE SÃO PAULO
 
Período: 07 de agosto a 13 de novembro de 2014.
Periodicidade: Semanal - 5ª feiras (13h30 às 17h30).
Nº de aulas: 15 aulas (60 horas/aula).
Público alvo: Profissionais das áreas de Artes, Museus, Educação, Turismo e Saúde.
Nº de participantes: 25
Pré-inscrição para seleção: 02 de junho a 20 de julho.
Depois de preenchida, a ficha deverá ser enviada para o e-mail: educaespecial@pinacoteca.org.br.
Período de Inscrição para os selecionados: 22 a 25 de julho.
(das 10h às 12h e das 14h às 17h).
Local de inscrição: Núcleo de Ação Educativa
Pinacoteca do Estado de São Paulo - Praça da Luz, 02.
Informações: (11) 3324-0945 ou 3324-0941.
Local do curso: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02.
Objetivo do curso: Dar subsídios a profissionais que atuem nas áreas de Artes, Museus, Educação, Turismo e Saúde para o planejamento de programas ou aulas de artes do ensino formal ou não formal, dirigidos a públicos e classes especiais ou inclusivas, tendo como referência o Programa Educativo para Públicos Especiais e as obras do acervo da Pinacoteca de São Paulo.
O curso propõe, a partir de ações educativas inclusivas e didáticas de ensino multissensoriais, contribuir para a fruição e o conhecimento mais amplo e significativo da arte, levando em consideração as necessidades e potencialidades de pessoas com deficiências físicas, intelectuais, sensoriais e emocionais.
Observação: o curso oferece vagas para educadores e profissionais com deficiências auditivas e visuais.
 
Descrição do convite: o convite com fundo branco, escrito com letras pretas e rosas, é ilustrado por quatro fotos coloridas de ações do curso: a primeira mostra um grupo de três alunas desenhando e recortando na aula oficina, a segunda mostra várias pessoas assistindo a uma apresentação no auditório da Pinacoteca; a terceira mostra um aluno com deficiência visual conhecendo a maquete do prédio da Pinacoteca com o acompanhamento de uma educadora, e a quarta mostra uma educadora mostrando os recursos educativos em uma sala do acervo, com um grupo de alunos em volta de uma base onde se apoiam esses materiais, diante dela. Na base do convite, os logotipos de patrocinadores Master (Lei de Incentivo à Cultura, IBM, Banco do Brasil e Mapfre Seguros), de patrocinadores (Cielo e Sanofi), do apoiador (Even) e dos realizadores (Pinacoteca, Governo do Estado de São Paulo e Ministério da Cultura). Abaixo delas, pequenos quadrados e retângulos verde-azulados, organizados em duas fileiras simétricas, representando a fachada da Pinacoteca com muitas janelas e uma grande porta em arco no centro.
 
 
 

31 maio, 2014

Copa do Mundo - em Libras

Não se fala de outra coisa: COPA DO MUNDO e se o tema é esse devemos explora-lo, inclusive em LIBRAS. Para isso selecionei alguns vídeos que ensinam os sinais de países participantes e de vocabulários que pertencem ao mundo do futebol.
Lembre-se sempre que os sinais diferem de região para região, de comunidades e até mesmo entre as escolas de surdos.






E no link abaixo você poderá ver os sinais de cada jogador da Seleção Brasileira

http://esportes.terra.com.br/futebol/copa-2014/veja-fotos-de-jogadores-da-selecao-identificados-em-libras,4833e307d8946410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html


24 maio, 2014

Pessoas famosas com Deficiência

Que ninguém é perfeito isso é fato. Todos temos defeitos ou alguma coisa errada (ou várias!!!).
Também temos deficiências, sejam elas aparentes ou não.
Alguns são rotulados ou como dizemos tecnicamente: "tem laudo"
Outros passam a vida inteira sendo chamados de estranhos e esquisitos.
Então você não está sozinho, não é o único se isso te consola. Até os famosos tem problemas. Se é que podemos considerar deficiência como problemas.




asthma = asma
stuttering = gagueira
blindness = cegueira
club foot = pé torto
ADHA - Transtorno de déficit de  Atenção e hiperatividade